Home / Artigos / Alternativas para o setor petrolífero e para a Petrobras

Alternativas para o setor petrolífero e para a Petrobras

Paulo César Ribeiro Lima
Consultor Legislativo
Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos

Pedro Garrido da Costa Lima
Consultor Legislativo
Política e Planejamento Econômicos, Desenvolvimento Econômico e Economia Internacional

O setor petrolífero nacional vive um momento de dificuldades, mas está diante de uma grande oportunidade em razão da descoberta da província petrolífera do Pré-Sal. Ao longo dos últimos anos, a Petrobras foi a principal aposta para viabilizar altíssimos investimentos tanto no Pré-Sal quanto em outras áreas do setor.

No entanto, a queda nos preços do petróleo e o alto endividamento da empresa geraram significativas alterações de cenário. Nos últimos planos de negócio da Petrobras, houve grande redução nas previsões de investimento, além do estabelecimento de uma ambiciosa meta de desinvestimentos.

Para reduzir sua alavancagem, a Petrobras anunciou a suspensão de uma série de investimentos, entre eles as refinarias Premium I e II, que seriam construídas nos Estados do Maranhão e Ceará, respectivamente, e o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro – Comperj. Houve, ainda, corte de oito plataformas e duas fábricas de fertilizantes, entre outros projetos menores. Os desinvestimentos para o biênio 2015-2016 foram mantidos em US$ 15,1 bilhões.

Os cortes de investimentos na área de Exploração e Produção representam um grande impacto na estimativa da produção nacional de petróleo.

Segundo a Agência Internacional de Energia, a produção de petróleo do Brasil deverá aumentar de 2,5 milhões de bpd para 3,4 milhões de bpd em 2021. O Plano Decenal de Expansão de Energia 2023 chegou a prever uma produção muito superior a essa, de cerca de 4,6 milhões de bpd.

Para manter boas perspectivas de investimento no setor petrolífero e de aumento de produção, parcela das reservas internacionais poderia ser utilizada para investimentos diretos da União nesse setor, em especial na província do Pré-Sal, isolada ou conjuntamente com uma operação de capitalização da Petrobras.

A descoberta dessa província pode representar a agregação de reservas de 176 bilhões de barris de petróleo, volume significativamente maior que as reservas nacionais, que, em 2014, em de 16,2 bilhões de barris de petróleo.

Baixe o estudo completo aqui 

Veja Mais

Breakout no Irã

Artigo de Marco Aurelio Pinto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *